Grafeno


 
   Um assunto que está em alta no mundo da tecnologia e da física nos dias atuais é o Grafeno, um material considerado o “mais forte” conhecido.

  Basicamente esse material pode ser explicado da seguinte forma:
   Uma “folha” hexágonal de carbonos ligados em dupla, altamente compactados (beirando o limite atômico de compactação) em duas dimensões, sendo que a terceira dimensão (a altura) seria desprezível por conta do efeito de “esmagamento” causado nas moléculas.
   De forma mais simples, imaginemos várias bolas de boliche colocadas uma ao lado da outra de modo que formem um hexágono, então uma máquina esmagaria esse hexágono até o momento em que a altura das bolas de boliche seja praticamente igual ao solo onde elas estão colocadas e a distância entre as mesmas seja quase inexistente.
   Certo, mas e pra que serviria esse material? Blindagem? Materiais bélicos? Talvez... Mas o propósito principal dos cientistas é o uso na informática e na telefonia, substituindo assim o nosso amado Silício, aqui vai algumas características importantes para tal substituição.
  • Em tese, o Grafeno seria capaz de gerar processadores ou circuitos integrados que chegariam a impressionantes 500 GHz sendo que os mesmos feitos em Silício hoje em dia alcançam algo em torno de 5 GHz. 
  • Sua maleabilidade é impressionante, sendo também o melhor material conhecido até hoje nesse quesito, dessa forma teríamos celulares mais resistentes a quedas, dobráveis e extremamente finos, assim como notebooks e telas de desktops. Imagine um aparelho que de início seria do tamanho de uma TV de 21’’, então ao dobra-lo se tornaria um Tablet, ao dobrá-lo ainda mais teríamos um celular e por fim um relógio de pulso.
  • É capaz de conduzir corrente elétrica com muito mais eficácia se aquecendo quase nada durante o processo.
  • Poderiam ser feitos componentes mais baratos e eficientes do que os disponíveis hoje em dia no mercado. 
  • A tecnologia poderia estar por toda parte, afinal outra característica importante é sua transparência, então desse modo, janelas de um ônibus nas grandes capitais poderiam virar telas de TV de alta definição para aliviar um pouco o estresse dos passageiros.
  • Baterias feitas de Grafeno durariam bem mais do que as baterias convencionais usadas hoje em dia, estamos falando não só de celulares, mas de automóveis, notebooks e todos os tipos de equipamentos.
  • Ele se autorregenera, isso mesmo, ele se “cura” sozinho. Essa estranha característica deve-se ao fato de que o Grafeno conserva as propriedades de seu elemento criador, o Carbono, que tem como tendência se ligar rapidamente a outros átomos, se moldando para qualquer formato necessário.
  • Sua resistência é sem igual, alguns cientistas costumam dizer que se equilibrarmos um avião comercial com centenas de lugares sobre um lápis cujo a ponta estivesse apoiada estivesse apoiada sobre uma folha de Grafeno, o mesmo não iria ser perfurado.
  • Transformar água salgada em potável. Mas como assim!? Pesquisadores do MIT (Massachusetts Institute of Technology) criaram um processo no qual derramavam água salgada em um filtro de Grafeno extremamente fino, no qual somente as moléculas de água conseguiriam passar e os sais ficariam retidos na folha. O processo apresenta eficácia até três vezes melhor do que os métodos usados atualmente.
   Ainda não se sabe quando o Silício será deixado de lado e se ele será deixado de lado completamente, mas a menos que se descubra um material ainda mais inovador, o futuro da tecnologia está no Grafeno.  

                                                 
                                                   Equipe Partícula Elementar





Categorias:

6 Responses to “Grafeno”

Caio disse...
11 de outubro de 2012 00:58

A roupa do batman deve ser feita desse material sem dúvida =P


Fael disse...
11 de outubro de 2012 00:59

isso ja existe ou ainda é só teoria?


João Vitor disse...
11 de outubro de 2012 01:03

Ouvi dizer que o grafeno vai muito mais além podendo até se tornar o material capaz de fazer roupas que deixam pessoas invisíveis, acho que é tudo especulação mas mesmo assim deixa tudo ainda mais impressionante. Ótimo blog, queremos mais postagens.


Duda disse...
11 de outubro de 2012 01:15

Até que enfim um texto decente e simples pra nós leigos entendermos, se eu tivesse conta google seguiria vocês. Parabéns pelo blog!


Equipe Partícula disse...
11 de outubro de 2012 01:24

Sim, existe. Várias empresas de telefonia e computação já estão fazendo pesquisas frequentes sobre o assunto e estamos passando por uma "corrida" pra ver a pioneira na produção em massa de aparelhos feitos com o Grafeno.


Equipe Partícula disse...
11 de outubro de 2012 01:26

Sim, pensamos em falar sobre essa característica também, porém, como você disse, é tudo meio teórico e distante de nossa realidade ainda.


Postar um comentário

Deixe seu comentário

© 2013 Partícula Elementar. Todos os direitos reservados.
Editado por Fernando Paladini ∴ Design original por SpicyTricks